o alcance da outra

28.11.10

É infinito? Ou apenas patético, na sua tentativa de estabelecer posições há muito perdidas? Será que ela não sabe (ou não quer saber) o êxtase que te dei tantas vezes, a cumplicidade que temos, o teu olhar que diz tudo e me despe, a reacção da pele do teu pescoço que se arrepia com o toque, com a respiração, até com a intenção? Sabe.

Comments

No response to “o alcance da outra”
Post a Comment | Enviar comentários (Atom)

Enviar um comentário