O alcance de uma ervilha

6.12.10

Sou Elvira. A que não se nomeia quando se joga ao stop. E de Eva, de Elena e de Elsa, mas nunca de Elvira, Elvira não-princesa, antes ervilha no fundo da própria cama. Sou Elvira, apenas mais uma, Elvira de voz a(gora) sumida. Sou Elvira de nome antigo, de cara que se quer sempre nova, de palavra remendada em crise moderna.
Sou uma Elvira, em suma. (a uma, a uma, a uma).

Comments

No response to “O alcance de uma ervilha”
Post a Comment | Enviar comentários (Atom)

Enviar um comentário